Imagem do Header da Postagem

[Vídeo] Corretor autônomo vale a pena? Conheça vantagens e desvantagens

Primeiramente, é importante saber que mesmo sendo um profissional autônomo é preciso fazer seu registro do CRECI, nós já explicamos aqui o que é e qual a sua importância, e verificar na prefeitura da cidade, quais os procedimentos para quem deseja trabalhar como corretor autônomo. O corretor pode se estabelecer com um escritório imobiliário e atuar como pessoa física seguindo as disposições da legislação da profissão.

Você é um corretor ou pretender ser um e está em dúvida se vale a pena ou não ser autônomo? Pois esse artigo é para você! Hoje vamos listar as vantagens e desvantagens de ser um profissional autônomo para te ajudar na escolha.

Corretor associado: Quais são as principais vantagens e cuidados necessários

O Corretor Conteúdo - Ibrep preparou um vídeo com as principais vantagens de ser um corretor associado a uma imobiliária. Nele você vai ficar por dentro de todos os tramites necessários para aderir a essa forma de trabalho.

Gostou do vídeo? Deixe um comentário e não deixe de curtir e compartilhar esse conteúdo com seus colegas corretores! Visite nosso canal do Youtube e confira ainda mais conteúdo rico para você do mercado imobiliário.

Corretor autônomo: Conheça as vantagens e desvantagens

A principal vantagem ao trabalhar como corretor autônomo é sem dúvidas a flexibilidade de horários. A independência e a possibilidade de poder criar a própria rotina é um fator que vem levando diversos corretores a se tornarem autônomos. Porém é preciso ter disciplina e muita organização para que essa vantagem não vire uma dor de cabeça, principalmente quando falamos em rendimentos mensais.

Outra vantagem é que os ganhos dependem exclusivamente do autônomo, assim ele se torna responsável por todos os processos da negociação de um imóvel, recebendo no fim toda a comissão de venda.

No caso, quando se trabalha em uma imobiliária, os ganhos são combinados antecipadamente e a empresa sempre fica com uma porcentagem de cada negociação realizada, porém em contrapartida, a empresa oferece um salário fixo, gerando uma certa segurança para o profissional.

Vale lembrar que um corretor, pessoa física, que vende um imóvel está sujeito a uma tributação de até 27,5% do ganho. Por isso é importante ter organização, planejamento e muita produtividade para fazer valer a pena.

Quando se decide tornar-se autônomo é fundamental ter uma reserva financeira para os dias de possíveis apertos, quando o mercado não anda muito bem ou a produtividade tenha caído por diversos fatores. Por isso, é fundamental fazer uma análise bem profunda sobre a modalidade e definir se vale a pena ou não.

Tecimob - Site para corretor de imóveis e imobiliária

Assim sendo, essa é uma das desvantagens de se trabalhar como autônomo: a incerteza. Como um empregado de imobiliária, o corretor possui uma garantia de salário ao fim do mês e a divisão dos ganhos em vendas. Como autônomo essa garantia não existe, sendo fundamental que se possua planejamento da rotina e também financeiro para que tudo flua da melhor forma possível.

Há também a possibilidade de se trabalhar como associado, quando um corretor (profissional liberal), firma contrato com uma pessoa física com uma ou mais imobiliárias para que desenvolvam uma parceria de trabalho. Neste contrato são estipuladas as comissões sobre os negócios realizados. Por meio deste contrato o corretor não cria um vínculo como a CLT e pode fazer seu próprio horário e negocia com as empresas sempre que necessário.

Ser ou não um corretor autônomo é uma decisão de extrema importância, que deve ser planejada e pensada com cuidado, por isso defina suas necessidades e prioridades antes de tomar qualquer decisão!

Fonte do vídeo: Corretor Conteúdo IBREP no Youtube Este canal é uma excelente fonte de conteúdo para corretor de imóveis e imobiliárias. Recomendamos que você inscreva-se e ative as notificações.